COMO SABER SE VOCÊ ESTÁ INFECTADO PELO VÍRUS SARS-COV-2?

corona

 

A melhor forma de saber se você foi infectado pelo novo Coronavírus é realizar uma avaliação médica. Para auxiliar no diagnóstico, existem alguns exames que são realizados em laboratórios de confiança, hospitais ou na rede pública de saúde. Atualmente, os exames mais comuns para a detecção da COVID-19 são o PCR e a Sorologia. O primeiro  é o exame que confirma a presença do vírus usando um pedaço do código genético para identifica-lo. O segundo mostra que houve contato com o vírus, pois mede a resposta imune.

 

COMO CONFIRMAR SE ESTOU INFECTADO?

Como muitos dos sintomas da COVID-19 se assemelham a de um resfriado comum (febre, tosse seca, problemas para respirar) a melhor maneira de confirmar a infecção é por meio de um teste específico. Neste momento, recomenda-se entrar em contato telefônico ou por mensagem com um médico ou serviço de saúde para mais orientações. 

Quais as diferenças entre os exames PCR e Sorologia?

PCR é a metodologia “padrão-ouro” capaz de detectar a presença do vírus nos pacientes. O exame é feito em material coletado da garganta e do nariz (em ambientes hospitalares, pode ser utilizada secreção do pulmão, o que aumenta a assertividade do teste), e por meio de técnicas de biologia molecular, detecta o material genético do vírus na amostra do paciente. O exame é recomendado para o diagnóstico de COVID-19 para pessoas com sintomas e pode detectar a presença do vírus em média até o 10º dia de sintomas.

Sorologia são testes imunológicos capazes de detectar os níveis de anticorpos IgM e IgG em amostra de sangue do paciente. É aconselhado para pacientes com sintomas a partir do sétimo dia, tempo que leva para os anticorpos começarem a ser produzidos. Ressaltamos que um resultado negativo NÃO exclui a presença da doença.

.

Exames de imagem para COVID-19

Entre os exames de imagem, a Tomografia Computadorizada de Tórax é o método de escolha para avaliar comprometimento pulmonar por ter alta sensibilidade e especificidade. Utilizado em pacientes internados, o exame pode indicar que pessoas com forte suspeita epidemiológica e com padrão tomográfico típico podem ser consideradas suspeitas para COVID-19 mesmo com outros exames negativos.

Fonte